Theravada no Sri Lanka


O Sri Lanka é um país budista desde o séc. III AC, altura em que o monge budista iluminado Ven. Mahinda, enviado por seu pai, o rei Asoka da Índia, aí aportou e introduziu o Budismo. Nesta ilha amena, que sempre esteve a salvo das sucessivas perturbações resultantes das guerras e invasões que historicamente afectaram o território indiano, o ensinamento original de Buda — a tradição Theravada — foi preservado e estudado “sem perda de uma única página” e constitui hoje a única versão completa e intacta que perdurou até aos nossos dias.
Nos tempos recentes, desde o período de revigoramento do Budismo Theravada que ocorreu a partir de finais do séc. XIX, a característica mais marcante do panorama budista no país é a sua vertente escolástica, a qual teve como expoentes uma corrente de monges — Nyanatiloka, Nyanaponika, Nanamoli, Soma Thera, Pyadassi, Nanarama, Narada, Bhikkhu Bodhi, etc. — na sua maioria ocidentais que dominaram a língua Pali das escrituras, aprofundaram o estudo e o entendimento do ensinamento através da reflexão vigilante, da contemplação, e da prática meditativa, vindo a constituir um corpo de divulgação doutrinal, hoje uma referência inquestionável da divulgação consistente e madura do ensinamento. No campo da meditação e ao invés do que sucede em Myanmar ou na Tailândia, o ensino da prática, não se centra em torno da personalidade de um professor, antes é enquadrada de forma essencialmente impessoal, inserida numa cultura budista milenar, normalmente em eremitérios disseminados pelas florestas do interior do país, no seio das quais se encontram, de forma simples e discreta, professores de alta reputação como o Ven. Nanarama Mahathera.
O Sri Lanka é o país da naturalidade, onde as coisas não são embelezadas para corresponder a alguma situação ou efeito, onde as coisas são a simples expressão da sua natureza, seja ela qual for. A estrutura existente para a prática meditativa, com as suas centenas de mosteiros disseminados pelas florestas do interior do país e também alguns em cidades, são uma expressão da, fortemente enraizada, cultura milenar monástica, ainda que também dêem apoio a retiros orientados e pontuais realizados pela comunidade laica.
O fenómeno verificado noutros países Theravada, de surgimento de sucessivos centros de meditação, muitas vezes vocacionados para estrangeiros, é muito recente no Sri Lanka. Se, por um lado, as estruturas meditativas não estão orientadas para visitantes estrangeiros, isso constitui, por outro lado, uma mais valia para um monge seriamente empenhado na sua auto-cultivação pois encontra no Sri Lanka excelentes condições, ainda que mais exigentes e difíceis, para uma prática responsável, em perfeita harmonia, ao jeito e ritmo individuais. Desse modo, o Sri Lanka pode ser considerado um país de responsabilidade em liberdade para uma prática monástica de meditação empenhada, com discernimento e auto-vigilância.
Como nos outros países budistas Theravada a prática da mendicância mantém-se ainda nos dias de hoje e constitui uma ligação indispensável para o fortalecimento dos laços entre as comunidades laica e monástica, fundamentais para a preservação do espírito de monasticismo introduzido por Buda.


CENTROS DE MEDITAÇÃO PARA OCIDENTAIS LAICOS
(a utilidade desta informação depende da sua actualidade. Se souber de dados incorrectos ou omissos, agradecemos que o comunique à ABT, para que outros possam também beneficiar desta partilha e solidariedade)
Embora existam muitos centros, eremitérios e mosteiros, poucos são adequados a meditadores ocidentais laicos e iniciandos. Para quem chega ao país pela primeira vez, os melhores locais para fazer um retiro situam-se nos distritos de Colombo e Kandy. A maioria dos centros de meditação para laicos cobra um pequeno quantitativo em dinheiro para alojamento e comida. Em centros de meditação monásticos, como Kanduboda Vipassana Meditation Centre, não há custos definidos, porém são bem-vindos donativos. Se pretender informação sobre locais para monges ou meditadores avançados contacte a ABT.

ÁREA DE COLOMBO

□ LANKA VIPASSANA MEDITATION CENTRE
— Direcção: 108, Wijerama Mawatha, Colombo 7; Tel.: +94 11 2694 100
— Este centro é um ramo de Kanduboda na zona diplomática de Colombo. É o local onde o conhecido professor de meditação, Ven. Pemasiri, era residente. Recentemente porém foi substituído nas suas funções pelo Ven. Ariyavamsalankara.
— Alojamento: O local tinha alguns monges e laicos ocidentais residentes em permanência. Bom apoio. Local limpo, bastante sossegado para os parâmetros de Colombo. Mulheres ficam numa ala separada.
— Alimentação: Boa qualidade. Laicos comem na mesma sala que os monges.
— Meditação: Não há cursos oficiais mas há meditação em grupo ao longo do dia.
— NOTA: Não há custos definidos para alojamento e alimentação; donativos são bem-vindos.


□ KANDUBODA VIPASSANA MEDITATION CENTRE
— Direcção: Kanduboda, 11700 Delgoda. Tel.: +94 11 2445518/ 257030. E-mail: bhavanam@sltnet.lk ou mupali@sltnet.lk
— Localização: Este mosteiro/centro de meditação situa-se aprox. 20km a Este de Colombo. Fica perto de uma pequena estrada e está rodeado por plantações de coqueiros e de umas poucas casas de aldeia.
— Acesso: Na CTB Bus Station, na Olcott Mawatha, Pettah, em Colombo, apanhar bus 224 que tem uma paragem no exterior do mosteiro. Também aí passa o bus 207 de Gampaha.
— Prof.: O professor é o Ven. Upali, muito experiente na meditação Vipassana estilo Mahasi.
— Alojamento: Há alguns edifícios grandes com quartos e algumas kutis (normalmente reservadas para monges). É um dos raros mosteiros do país com população monástica feminina residente. As monjas, bem como mulheres laicas, ficam numa zona específica e separada dentro do recinto do centro. É particularmente conveniente para mulheres que pretendam fazer um retiro de meditação.
— Meditação: Vipassana, tradição Mahasi. Entrevistas diárias com Ven. Upali.
— Rotina: A rotina diária e a disciplina é mais suave que nos centros Mahasi em Myanmar.
— NOTA: Não há custos definidos para alojamento e alimentação; donativos são bem-vindos. Planeie uma estadia de 2 a 3 semanas. Kanduboda tem mais de 25 ramos ao longo do país, porém a maioria não tem interesse para ocidentais.


□ DEKANDUVALA M.C.
— Direcção: Kananwila, Kahapitiya, Horana.
— Localização: Situa-se cerca de 20km a Sudeste de Colombo, no topo de um monte. Belas vistas em volta.
— Alojamento: Para infos e reservas deve ser contactado o Ven. Vimalajothi no Buddhist Cultural Centre (125, Anderson Road, Nedimala, Dehiwala; Tel: 726234, 734256; Fax: 736737). Kutis e quartos estão disponíveis para meditadores laicos. Boas instalações. Tranquilo. Meditadores ocidentais são muito bem-vindos aqui.
— Meditação: Hall de meditação muito agradável.
— NOTA: Há provavelmente um custo para alojamento e comida.


 ÁREA DE KANDY
Kandy é a antiga capital do interior montanhoso. A segunda cidade do país, alberga o templo (aqui na imagem) que guarda as relíquias dos dentes de Buda., e também duas sedes da Siam Nikaya. Em Kandy, visite a Buddhist Publication Society (BPS): 54, Sangharaja Mawatha, Tel.:081-2237283; fundado por Ven. Nyanaponika, tem uma grande livraria com excelente escolha e variedade de livros budistas. Visite também a Forest Hermitage, histórico local onde residiram Ven. Nyanatiloka, Ven. Nyanaponika, Ven. Bhikkhu Bodhi, e actualmente Ven. Nyanatusita (escreva ou telefone antecipadamente ao monge residente, Ven. Nyanatusita- c/o Buddhist Publication Society, PO Box 61; Tel.: 07777-65944), situado no lindo Udawattakele Sanctuary onde quem se dirige à hermitage está dispensado de pagar a entrada no santuário.


□ NILAMBE MEDITATION CENTRE
— Direcção: Galaha, Kandy (Mr. Upul Gamage: 0777-804555);
E-mail: upulnilambe@yahoo.com
— Localização: Situa-se cerca de 20km a Sul de Kandy, numa plantação de chá na serra acima de Peradeniya. Área tranquila. Clima frio e húmido, excelentes vistas. Atmosfera descontraída e amigável no interior do centro.
— Acesso: Em Kandy, apanhe bus para Galaha e desça 17km após Peradeniya, na Nilambe Bungalow Junction (os condutores conhecem o sítio). Depois suba uma íngreme encosta de plantações de chá, durante 40min (siga as setas brancas).
— Dimensão: Este é o maior centro de meditação do país para meditadores laicos. Muitos ocidentais, de ambos os sexos, vêm para aqui, assim como alguns cingaleses.
— Prof.: Este é o local a que sempre esteve associado o, internacionalmente conhecido e respeitado, professor de meditação Godwin Samararatne, falecido no ano de 2000.
— Meditação: Actualmente, o professor de meditação residente para cingaleses é Mr. Upul Gamage. Outros professores também vêm aqui ocasionalmente. Não há de momento professor residente para ocidentais. Aulas diárias de yoga.
— Rotina: Existe um horário diário muito apertado. Silêncio praticamente permanente.
— NOTA: Há um custo de 400 rupias por dia para alojamento e alimentação.


LEWELLA MEDITATION CENTRE
— Direcção: 160, Dharmashoka Mawatha, Kandy 20000. Tel./Fax: 08-2225471.
— Localização: Situa-se num subúrbio de Kandy, a 1,5km do centro da cidade e conectado com Nilambe, vocacionado para laicos, tanto ocidentais como cingaleses.
— Alojamento: Há uma casa com alguns quartos próximo da estrada e 4 kutis na mata situada na encosta por cima da casa.
— Meditação: Meditação em grupo ao fim da tarde. Classes de yoga. Ambiente descontraído.
— NOTA: Há um custo de 400 rupias por dia para o alojamento e a comida. Monges podem ir em pindapata (recolha mendicante de comida).


□ PARAMITA INTERNATIONAL BUDHIST CENTRE
— Direcção: 07, Balumgala. Kadugannawa. Tel/Fax: 08-570732 (escritório).
— Localização: Situado 20km a Oeste de Kandy, é um centro de meditação recente construído num monte por cima do ponto onde a estrada Kandy-Colombo começa a descer as montanhas (onde a estrada passa através da rocha).
— Alojamento: Um local confortável, construído especialmente para estrangeiros que gostam de boas instalações e comida.
— Prof.: O Ven. Silananda é o professor residente, bem como o principal organizador das actividades.
— Meditação: Vários professores visitam o local e por vezes têm lugar retiros; porém a ênfase é posta na prática e no estudo por conta própria.
— NOTA: Há uma boa biblioteca. Algum ruído da estrada Kandy-Colombo. Há um custo para alojamento e comida.


□ KONARAVATTA MEDITATION CENTRE
— Direcção: Atanval. South of Kaikawala/Rattota. Tel.: 066-2233450.
— Localização: Situa-se 30km a Nordeste de Kandy, a 12km de Matale. Um local novo, com uma área aprox. de 4ha, construído nas encostas da cordilheira de Knuckles.
— NOTA: Pertence ao ex-monge alemão Nyanasiha, agora Peter. Pessoas laicas podem construir aqui as suas próprias kutis de meditação. Quando Peter não está, quem trata é Chandra.


□ DHAMMAKUTA VIPASSANA MEDITATION CENTRE
— Direcção: Mowbray, Galaha Road, Hindagala, Peradeniya.
Tel. (kandy): 081-2234649/081-2385774-5/070-800057
E-mail: dhamma@sltnet.lk
Website: www.lanka.com/dhamma/dhammakuta
— Localização: Situado numa montanha, com excelentes vistas e clima frio., a cerca de 5km de Peradeniya em direcção ao Sul.
— Acesso: Bus para Galaha a partir de Kandy.
— Prof.: S.N. Goenka, na tradição de U Ba Khin.
— Meditação: Não há residentes em permanência. O centro só abre para a realização calendarizada de retiros. É conveniente fazer reserva com uma boa antecedência porque o centro fica frequentemente lotado. Porém, a presença de SN Goenka durante os retiros é altamente improvável.
— NOTA: Não é possível ver o local sem marcação prévia. Não há custos definidos para os retiros, mas donativos são bem-vindos.